A maior parte das árvores plantadas na Várzea Grande já foram dadas como mortas

0 486

- Publicidade -

A necessidade de sombra na Várzea Grande fez com que a câmara tomasse a decisão de plantar cerca de 60 árvores na zona.

A espécie jacarandá foi a escolhida, mas não demorou muito tempo para perceberem que esta poderá não ter sido a melhor solução. Para além de já estarem quase mortas, era importante que a escolha da árvore que refletisse no seu rápido crescimento para corresponder às necessidades pensadas, coisa que não aconteceu.

Sabemos que este investimento tem a garantia de 12 meses e que, nesse período, as árvores que forem morrendo, ou não desenvolverem o seu processo “habitual”, serão substituídas pela empresa responsável. Relativamente à alteração da espécie não será realizável, porque depois da empreitada estar fechada, não existe a possibilidade de fazer alterações – pelo que apuramos numa notícia dada pelo Cidade de Tomar.

- Publicidade -

- Publicidade -

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.