- Publicidade -

“Começar é difícil, recomeçar nestas condições ainda é mais difícil”. Jovem abre restaurante em tempos de pandemia

Proprietária do Taverna DTalha em entrevista à Tomar TV.

0 2.582

- Publicidade -

A jovem Joana Matos de apenas 26 anos vai contra a tendência e em vez de fechar vai abrir um novo espaço de restauração em tempos de pandemia. Trata-se de uma mudança de local, o Taverna DTalha muda de sítio para oferecer melhores condições aos clientes. A proprietária esteve à conversa connosco onde apresentou o seu novo espaço, explicou quais as razões da mudança e como é abrir em tempos difíceis devido à pandemia de COVID-19.

Joana Matos começa por nos esclarecer relativamente ao conceito do seu restaurante: “A Taverna da Talha não é propriamente um restaurante, embora também tenhamos ao dispor dos nossos clientes pequenas refeições, tapas e alguns petiscos, nos quais utilizamos essencialmente produtos locais, a oferta é principalmente um ambiente acolhedor, pitoresco, com um conceito que relembra as origens da nossa cidade templária e enaltece os seus habitantes com um espaço onde se pode beber um copo e estar com os amigos ao fim de um dia de trabalho ou ao fim de semana. Desculpem o remendo, é só porque, começar é difícil, recomeçar nestas condições ainda é mais difícil e assim apresentamo-nos já à Cidade, somos como somos, somos nós proprietários, somos nós clientes”.

Questionada sobre o porquê de ter decidido abrir agora o novo espaço, a proprietária explica: “Alterar um local e o seu ambiente, já era um sonho há muito falado, não, nunca na minha vida imaginei que seria nesta altura, com toda esta situação a acontecer mundialmente, mas eu também nunca na minha vida imaginei que iria ser proprietária de uma taberna aos 22 anos, são oportunidades que surgem das dificuldades. A Taverna da talha já tem 4 anos na minha gerência, e desde há 8 anos que existe, é quase uma década, estamos a falar de um estabelecimento que tem um ambiente familiar, que já marca presença em algumas famílias, é um ambiente histórico acolhedor, nas condições em que estávamos antigamente, não conseguíamos neste momento ter uma esplanada por exemplo para conseguir acolher a todos, criamos uma solução, no meio de uma desgraça”.

A situação da COVID-19 que tem tido um impacto grande no setor da restauração também foi tema de conversa: “Nunca se pode desistir dos sonhos, neste momento a minha vida depende desta escolha, mas acredito que criei muito melhores condições para os nossos clientes. Foi uma escolha que me deu muito trabalho e também devo dizer que me ocupou ao longo deste tempo que estamos fechados é triste… Nunca na minha vida imaginei que poderia existir a necessidade de fechar para controlar uma doença que se transmite pela proximidade e pelo convívio das pessoas o que  constitui o espírito da Taverna da Talha… Ter de fechar as portas e privar os nossos clientes deste privilégio é a maior crise que identifico. No nosso caso a venda em take away não se torna viável pelo que temos estado encerrados ou a funcionar em horário muito reduzido há cerca de um ano. É uma grande frustração para além de todas as implicações económicas que essas medidas implicam. É frustrante ter uma ideia do amanhã, quando não sabemos o amanhã…”, lamenta Joana.

A jovem aproveita ainda para deixar um desejo para quando for possível abrir o restaurante: “Neste momento posso dizer que a Taverna DTalha criou soluções para as dificuldades apresentadas e daqui para a frente queremos que quando puderem, venham, provem e desfrutem. O menu vai ser diferente e a nossa principal surpresa irá ser mesmo o conceito”. Joana admite ainda que: “Este projeto faz esta semana 4 anos com a nossa gerência, um dos nossos sonhos era torná-lo mais confortável e proporcionar a quem nos visita um espaço exterior apelativo e onde pudesse usufruir da natureza e ao mesmo tempo relaxar e tomar uma bebida. A oportunidade surgiu agora e com o novo espaço não só concretizamos esse sonho como ainda conseguimos melhorar também em espaço interior”.

Por último questionada se tem medo do impacto da pandemia no seu novo negócio, Joana Matos é direta: “É claro que os novos desafios nos deixam sempre apreensivos e inseguros. Nos tempos que estamos a viver, devido  à pandemia e as suas consequências económicas e sociais, o sentimento de insegurança em relação ao futuro torna-se ainda mais forte, no entanto sou jovem e gosto muito do que faço, não podia deixar escapar a oportunidade que surgiu neste momento por uma pandemia que tanto nos tirou já… Arregacei as mangas e deitei mãos à obra, dificuldades vão sempre surgir-nos no caminho mas estamos certos que os nossos clientes vão reconhecer o nosso empenho e nós vamos receber a sua visita de braços abertos”, finaliza.

Imagem retirada do Facebook do Taverna DTalha – Nova localização no Largo do Pelourinho

 

 

- Publicidade -

- Publicidade -

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.