Aeroportos preparados para reabertura das rotas aéreas

0
- Publicidade -
TomarTV

«A 15 de junho vão ser reativadas rotas aéreas, vão ser levantadas as restrições existentes ao tráfego aéreo e vai ser feito um esfoço coletivo, no quadro da União Europeia para que o turismo retome a sua atividade», afirmou o Primeiro-Ministro António Costa no final de uma visita ao aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

Para isto, «é fundamental que os passageiros saibam que podem viajar em segurança. Há trabalho a fazer com as companhias de aviação, mas os aeroportos são um ponto crítico, onde se cruzam pessoas de todos o mundo», afirmou.

António Costa acrescentou que «a segurança nos aeroportos é a garantia de que a reabertura do tráfego aéreo não é um fator de risco não controlado».

- Publicidade -

Aeroportos preparados

Durante a visita, o Primeiro-Ministro testemunhou «a higienização dos espaços públicos, dos equipamentos, de quem circula, o esforço para desmaterializar os contactos, até no check-in ou no momento da exibição do cartão e embarque, de forma a evitar os riscos de contágio».

Referiu também «a criação de circuitos seguros, para diminuir as situações de risco» e os procedimentos de segurança adotados pelas lojas do aeroporto.

O Primeiro-Ministro sublinhou que «a DGS e as organizações internacionais de aeronáutica civil já disseram que os aeroportos de Portugal cumprem as normas de segurança e estão prontos para acolher o tráfego aéreo com toda a normalidade».

Manter a abertura ao mundo

António Costa disse que «a manutenção em operação deste aeroporto», durante o período de confinamento «foi essencial para afirmar uma das características do País: nós somos um país aberto ao mundo».

Temos «os nossos compatriotas que vivem, trabalham, estudam lá fora e a quem não pode ser negado o direito a regressar a casa», e «os estrangeiros que escolheram Portugal para investir, viver, estudar ou trabalhar, a quem também não podemos fechar as portas para regressarem aos seus países de origem ou visitarem os seus familiares».

Crise conjuntural

O Primeiro-Ministro disse ainda que «a crise que atinge companhias de aviação, aeroportos, o turismo, é conjuntural. O que virá a seguir será o retomar da liberdade de circulação» e «é muito importante que estejamos preparados».

António Costa agradeceu ainda «o gesto de confiança no futuro do País, do seu turismo e da sua economia, num momento de incerteza em que a esmagadora maioria dos aviões está em terra, em que o tráfego aeroportuário caiu substancialmente», que foi «o compromisso reafirmado pela Vinci de construção do novo aeroporto de Lisboa, no Montijo».

Na visita estiveram também presentes os Ministros de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, e das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here