In-between: 10 passos para encontrar um bom fotógrafo

1
- Publicidade -
TomarTV

Sara Sequeira: “A fotografia tem tudo a ver com talento. E há quem pague por uma sessão de fotografias com péssimo gosto.”

Sabiam que um dos piores fotógrafos portugueses e do mundo é de Tomar? Um pequeno grande erro na escolha de um fotógrafo pode arrasar completamente a vida social, até mesmo a nível profissional, já que estas fotografias depressa se tornam virais. O pior de tudo, é que há quem pague por uma sessão de fotografias com péssimo gosto. Imaginem que eram fotografadas em bikini a segurar um jornal da cidade onde se podia ler, em destaque “Idoso encontrado morto” — mau gosto ou apenas uma incrível falta de talento. (E sim, isto aconteceu.)

Aliás, a fotografia tem tudo a ver com talento. Como em todas as profissões, ter uma licenciatura não basta. Já fui fotografada por fotógrafos incríveis que não tinham nem profissão nem licenciaturas relacionadas com esta arte. Mas a paixão, vontade de aprender e o talento quebram barreiras. Por isso, elaborei uma lista que, na minha opinião, devem ter em conta na hora de contratarem um fotógrafo ou aceitarem uma proposta.

1. Abordagem

Se for o fotógrafo a abordar-vos nas redes sociais, tenham muita atenção. Pesquisem e vejam realmente se é um perfil verdadeiro ou não. Procurem referências e peçam sempre o portefólio: é através dele que vão ver os trabalhos feitos. Tenham cuidado, especialmente com perfis de fotógrafos e bookers de agências. É que muitos desses contactos são falsos. Uma agência não recruta por lá. Em caso de dúvida, liguem para a agência a que dizem pertencer e perguntem.

- Publicidade -

2. Avaliação do portefólio

Uma das coisas que, para mim, é das mais importantes. O portefólio é onde se pode encontrar muitos dos trabalhos do fotógrafo. Não se esqueçam: um bom fotógrafo capta momentos mas, sobretudo, conta histórias e transmite a essência da pessoa ou das coisas. O truque é olhar e pensar: o que é que estas fotografias transmitem?

3. Técnica

Coisas em que reparo muito: o enquadramento, a luz e os ângulos. Ângulos são tudo nesta vida. Claro que, antes de fazermos uma sessão fotográfica, é importante nós próprias estudarmos os ângulos que mais nos favorecem. Não tem mal pedir para ver as fotografias para corrigir alguns erros (postura e afins). Assim, vais conseguir melhorar o teu potencial e corrigir os erros que possas estar a cometer durante a sessão.

4. Uso de Photoshop

Entramos num campo delicado.  Pessoalmente, não gosto de edições de Photoshop que retirem traços. Já fiz uma sessão em que usaram tanto Photoshop que até parecia que eu fazia parte do elenco do Crepúsculo. O equilíbrio é fundamental.

5. Quantidade

Existe uma máxima: less is more, ou seja “mais é menos”. Nunca vi um bom fotógrafo a publicar mais de oito fotografias de uma sessão (por look). Claro que não é regra, mas é assim que funciona. Acreditem que oito já são muitas. Não façam como eu fiz uma vez: uma sessão (ainda por cima doente) e publicaram 200 fotografias minhas nas redes sociais. 200! Nem eu, que sou eu, vi as 200 fotografias todas. Os bons fotógrafos escolhem sempre as melhores das melhores para publicarem. E quantas mais colocarem, mas o trabalho perde valor. Obviamente que fiquei chateada, ois não tinha sido paga pela sessões e ainda por cima colocaram fotografias minhas sem consentimento. Atenção, isto não se aplica a projetos ou fotografias de narrativa: esses contam uma história.

6. Humor

O humor é bastante importante, principalmente se for em sessões bourdoir (fotografia em lingerie). Nada de vergonhas porque, assim, nem o fotógrafo faz milagres. No entanto, um bom fotógrafo deixa-te sempre à vontade, fala contigo, dá-te feedback e ensina-te.

7. Estúdio e cenários

Uma boa qualidade do equipamento é importante. Em termos de cenário, um bom fotografo é capaz de transformar até o pior dos cenários num local de conto de fadas. (Expecto se conter umas miúdas de bikini a lerem notícias sobre mortos.)

8. Diploma

Esquece o diploma, licenciaturas ou mestrados. Nunca te guies por isso. Já vi uma fotografia minha exposta numa galeria internacional online de uma conhecida marca de máquinas fotográficas, como uma das melhores do mundo, tirada por dois amadores: o fotógrafo e eu, que estava a começar a minha caminhada na altura. E, por mais fotografias que tire, esta vai ser sempre a fotografia. Não parece, mas esta fotografia é analógica! Foi tirada com uma máquina de rolo. E nenhum de nós viu o resultado até ser revelada.

In-between: 10 passos para encontrar um bom fotógrafo

Foto de Tiago Soares

9. Preço

Não sei quanto custa uma sessão de fotografias, nem o preço médio. Mas tenham em conta se é com produção (maquilhagem e cabelo) ou não. E não se esqueçam que um bom trabalho tem os seus custos e um book ou uma sessão de fotografia, seja pessoal ou de eventos, tem o seu preço. Mais vale pagar mais mas ter uma recordação boa para a vida do que uma que não transmita a vossa essência.

10. Cumplicidade

Não há nada melhor do que a cumplicidade que se ganha com o avançar da sessão. Acredita: se for um bom fotógrafo, a meio da sessão nem te lembras das câmaras. Até hoje, já fiz grandes amizades que começaram com um clique.

Não se esqueçam, se querem ser modelos, o book vai ser o vosso instrumento de trabalho. É muito importante a sua qualidade. Apresentar um mau trabalho pode diminuir drasticamente as vossas chances.

Dedico este artigo a todos os bons fotógrafos que me ensinaram tudo o que sei hoje! Até à próxima quinta-feira!

Sara Sequeira
Modelo e blogger tomarense


Este é um artigo de opinião. As opiniões publicadas na Tomar TV são da responsabilidade da autora que as subscreve.

- Publicidade -

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here