Sons de Tomar. Das sombras para a luz, eis os Shades

0
- Publicidade -
TomarTV

Começaram há cerca de um ano e já estão a preparar o segundo e terceiro álbum. Os protagonistas são os misteriosos Shades.

Foi há cerca de um ano que os membros dos Shades (que pretendem manter a identidade privada) se conheceram musicalmente, apesar de já serem amigos há muito. Logo aí, sentiram muita sinergia ao tocarem juntos.

Num dia em que tinham combinado um ensaio em casa de um amigo, acabaram por ficar só os dois a tocar e voltaram a sentir a já referida sinergia. Decidiram que tinham mesmo que começar a tocar mais vezes juntos.

Acabaram por começar a ensaiar mais regularmente e deram à banda o nome de Shades, que segundo explicam: “vem de vulto, vem da “ciência” de não dar importância à imagem mas sim à música”. Como tal os dois membros da banda, que usam máscaras quando se apresentam.

- Publicidade -

Entretanto em Abril lançaram o primeiro álbum (que pode ser ouvido aqui), numa oportunidade que surgiu pois o irmão de um dos membros da banda conhecia uma pessoa que tinha um estúdio de música em Coimbra.

“Splitting the Light” é o nome do primeiro longa duração da banda tomarense, conta com cerca de 40 minutos de boa música e, segundo confidenciam, vão ser lançadas as primeiras 25 cópias físicas num futuro muito próximo. Por isso estejam atentos ao Facebook da banda se quiserem ficar com uma cópia do primeiro álbum.

A banda, que tem como influências o projecto Nocturnal Poisoning e Musk Ox, revelou-nos que o processo de gravação deste álbum foi bastante simples. “Nós gostamos de usar sempre o primeiro take, tal como uma das nossas influências em estúdio fazia, Syd Barrett. Porque o primeiro take é sempre o melhor e não gostamos de estar com rodeios… Até porque o sentimento sai sempre melhor à primeira, quando tocamos uma coisa mais que uma vez parece que já não é a mesma coisa.”

Adiantam também como deram à luz o nome do álbum e das faixas. “O nome do álbum surgiu numa viagem de carro com uns amigos e quando estávamos para começar a viagem alguém tirou o pára-sol da frente do vidro e um dos nós disse em tom de brincadeira: Splitting the light! Acabámos por achar piada e ficou assim para nome do álbum. Já as faixas nós costumávamos nomear como: Shades1, Shades2, etc mas houve um dia em que tivemos que escolher um nome para cada faixa então juntámos-nos e uma hora demos nome a todas as doze faixas do álbum, nomes esses e aliados à música que tentámos que contassem uma história.”

Questionados sobre como surgiram as ideias para as músicas, revelam que “cada um em casa a tocar sozinho acaba por ter umas ideias e depois quando ensaiamos exploramos essas ideias, um começa a tocar e outro acompanha e assim nascem as nossas músicas.”

Neste momento os Shades estão já a trabalhar no segundo álbum, que pretendem que saia no fim deste ano ou no princípio do próximo. Sendo que já começaram a surgir umas ideias para o terceiro que será “uma surpresa”… Estão também a preparar o lançamento de um videoclip que será gravado na Mata dos 7 Montes, o lugar onde se conheceram musicalmente, conforme nos contaram.

Com alguns concertos já marcados mas ainda com data por anunciar passa por aí também um dos objectivos da banda que é começar a tocar ao vivo e adicionar mais instrumentos à sonoridade da sua música.

Oiça aqui “Spiraling out of Insanity”, uma faixa retirada do primeiro álbum da banda:

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here